Rede que embala a educação popular

No embalo da Rede, o Núcleo de Educadores/as do Rio Grande do Norte se encontra e anima a ação educativa e as lutas sociais em solo potiguar. Nada mais sugestivo que uma reunião em 19 de novembro, dia destinado a bandeira brasileira. desenhada por Décio Vilares a bandeira republicana representa as mudanças que o Brasil passava na forma de governo e de governar, do regime imperial para uma república federativa, carregada de simbologia que estava agregada ao republicanismo, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista e a identidade nacional.

No contexto atual, o Brasil tem sua democracia subtraída, com um governo que desmonta o Estado-nação e a identidade nacional. Ainda em choque, lutamos pela garantia de direitos, de um Brasil para os/as brasileiros/as.

Com esse sentimento seguimos em frente com a programação da atividade:

Durante a manhã, educadoras colaboram com a doação de comida, já prontinha, para o almoço coletivo com estudantes que ocupam a Secretaria de Educação e Cultura do RN- SEEC. Os estudantes estão na luta contra a PEC da Morte, que no Senado recebe o nome de PEC 55; Visita à praça vermelha (primeiro local marcado para a reunião do núcleo) não aconteceu na praça devido já está ocupada pela caminhada dos historiadores; Reunião do núcleo com parada para um café com tapioca e biscoito na casa de Gerlane.

Impressões sobre a realidade e ação educativa no RN

A tarde a reunião do Núcleo de Educadores/as teve inicio com uma rodada de apresentação onde cada pessoa disse seu nome, o lugar onde está e uma breve análise do momento político hoje, alguns destaques:

  • Estamos vivendo momento de GOLPE que parece a cada dia desmantelar políticas, perder direitos. Em um comparativo em relação a gerações dos anos 70, 80… parece ser uma relação entre TER e PERDER, ou seja, uma luta que era travada na dimensão de TER direitos, sonhos, e hoje com riscos de perder o que foi conquistado. Daí, estamos esperançosos que principalmente a juventude de hoje, e a partir dos exemplos dos jovens que tem a ousadia de fazer as ocupações nas escolas, não se conforme em PERDER ou não ter o básico de condições dignas de vida: direito à escola e educação com qualidade, cotas nas universidades, garantia de lei que não sejam proibitivas de aprendizados com respeito às escolas das pessoas, oportunidades de intercâmbios de estudos em outros países entre outros;

  • O que falamos de ESPERANÇA não é no sentido de esperar, mas de esperançar na força da luta e ousadia em inovar em novas formas de ocupar as ruas, de rebelar-se e se indignar com as injustiças contra as mulheres, os negros, os pobres, as comunidades LGBT e outros seguimentos sociais.

  • Nós nos identificamos no campo da esquerda e no campo da educação popular, não arredaremos o pé da luta, mesmo que os impactos deste golpe de Estado esteja tão presente no nosso cotidiano, em nossas famílias, nossas comunidades, nossas escolas, enfim, em nossas vidas. Apostamos em retomar com força e de forma articulada, juntar mais parceiros para criar espaço de formação e conscientização política, agregando nossos interesses em comum: A economia solidária, o trabalho com as mulheres e a juventude, aproximar o diálogo entre o saber popular e o saber acadêmico.

  • Nos dispomos à lutar na perspectiva de reinventar os instrumentos da educação popular, aproximar práticas e experiências populares, uso das novas tecnologias para reaproximar diversidade de público e conteúdos temáticos para a formação política.

  • Afirmamos o propósito que o nosso núcleo de educadores RN, não é um espaço para criar novas demandas “ porque demandas já temos demais na nossa vida, na nossa militância”. O núcleo é o espaço para nos fortalecer, nos sentirmos apoiados entre nós e outros que chegarem para somar conhecimentos, estudar, refletir a partir de nossas realidades e dos lugares onde estamos. É o espaço para agregar forças, articular ações educativas de forma coletiva.

O coletivo afirma a educação popular como fundamental para a formação de sujeitos políticos com incidência nas lutas sociais, contribuindo assim para fortalecer as lutas, principalmente nesse tempo turbulento. O coletivo finaliza com sugestões e Encaminhamentos:

=> Garantir espaços de reflexões no núcleo, inclusive com formas de mobilizar outros educadores(as) pertencentes nesta relação da ação da educação popular e encantar outros novos;

=> O núcleo deve promover inicialmente uma atividade externa com pauta de reflexão, que pode ser sobre as ocupações nas escolas, e o desafio de manter acessa a chama da educação popular. Esta atividade poderá ser realizada em parceria com universidades, escolas ou movimentos sociais;

= O núcleo em parceria com a Universidade e IFRN, buscar possibilidade de construir um CURSO DE FORMAÇÃO que poderá ser em modalidade à distancia com momentos presencias, e que tenha como públicos prioritários juventude e educadores/as, tendo como referência a dimensão do trabalho comunitário. Para este fim, tem como referencia os lugares de atuação de cada educador(a), exemplo: economia solidária, área rural, universidade, área cultural, sindical, etc.

=>Ver formas de viabilizar a realização do encontro estadual de educadores (buscar parceria com Universidade Federal e IFRN) e apoio da EQUIP. Articular uma comissão no estado para acompanhar o processo preparatório do encontro de educadores no nordeste para ser realizado em 2017, com encontros por blocos de estados: RN, PB e PE; MA, PI e CE; Al, SE e BA, e a realização de um encontro Regional com a participação dos nove estados.

=> Buscar formas de sustentabilidade para o núcleo, a exemplo de elaboração de pequenos projetos junto a Fundos e editais específicos.

=> Próxima reunião do núcleo para a primeira quinzena de dezembro de 2016.

Educadores/as presentes: Gerlane, Divaneide, Luciano Lima, Toinha, Alessandro, Livia Uchoa, Lidiane, Socorrinha, Bianca, José Mateus, Tania Costa e Joana Santos/EQUIP – convidada

Crianças presentes: José Mauro e Clarinha.

Anúncios

Sobre mundosofismo

Somos educadores populares e acreditamos na teoria de educação freirena, este espaço se destina a comunicação popular nas mais variadas mídias e formas. Buscamos colaborar com a liberdade de expressão através da defesa absoluta da democratização da mídia, colaborando com causas e movimentos e seus protagonistas nas lutas em todas os meios inclusive através do ciberativismo em Rede Mundial de Computadores.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s