Escola, que valores educativos se constroem?

Essa semana passei por uma situação inusitada em sala de aula, algo que até agora está me fazendo perguntar sobre em que mundo estamos? Qual meu papel como educador? Quais valores estão sendo construídos na escola?

Acreditem, esta história é absolutamente real e aconteceu essa semana no primeiro período de uma aula de filosofia, estávamos fazendo uma avaliação do primeiro bimestre para vermos como foi e o que precisávamos melhorar na metodologia.

No diálogo, fui pego de surpresa quando um educando e três educandas me questionaram no sentido de sempre entrar em sala de aula no horário certo sendo o primeiro a iniciar as aulas,  chegaram a dizer que eu era o único que fazia isso prejudicando-os em seus interesses de começarem a aula 15 minutos mais tarde.

Creio ser um exagero dos educandos a afirmação de que sou o primeiro, mais ainda de ser o único, pois meus colegas e minhas colegas são altamente comprometidos e comprometidas, entram em sala mesmo que a secretaria não esteja aberta ou não tenha ninguém pra tocar a campainha de inicio das aulas e entre os períodos.

Achei aquela situação paradigmática, uma forma de cúmulo de nem sei o que, poder-se-ia dizer o cúmulo da tentativa de um pacto da mediocridade onde os educandos e as educandas cobram de um professor que ele dê a sua colaboração na displicência, firmando o pacto onde os educandos e as educandas fazem de conta que estudam, os educadores e educadoras fariam de conta de que estavam realizando encontros educativos sérios e no final tudo certo com a aprovação geral e irrestrita.

Paradigmas

Paradigmas

A aula sofreu mais uma mudança imprevista, mais um plano “b”, “c”…  Falamos sobre ética, sobre horas trabalhadas e a necessidade de cumpri-las, sobre o tempo disciplinar da escola já ser reduzido por conta do transporte escolar que precisa voltar antes do que seria o prazo certo de encerramento das aulas e do fato de estarmos estudando filosofia, uma disciplina não menos complexa que qualquer outra, mas que por ter um único período por semana seria impossível dar qualquer conteúdo se não utilizarmos bem o tempo.

Creio o baixo índice de aprendizagem dos estudantes do RN foi verificado no relatório De Olho nas Metas elaborado pelo movimento social Todos pela Educação, deficiência e baixos índices praticamente em todos os componentes curriculares, ou seja importantes campos do conhecimento.

Baixe o relatório elaborado pelo Movimento Todos pela Educação aqui.

Alessandro da Silva Maia

Professor da Rede Pública Estadual doRio Grande do Norte

Anúncios

Sobre mundosofismo

Somos educadores populares e acreditamos na teoria de educação freirena, este espaço se destina a comunicação popular nas mais variadas mídias e formas. Buscamos colaborar com a liberdade de expressão através da defesa absoluta da democratização da mídia, colaborando com causas e movimentos e seus protagonistas nas lutas em todas os meios inclusive através do ciberativismo em Rede Mundial de Computadores.
Esse post foi publicado em Educação, PATRIA EDUCADORA, SEECRN e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s