Tragédia em Queimadas: estupro coletivo foi planejado durante 15 dias, veja vídeo com acusado.

Convidadas selecionadas, algemas e cordas previamente compradas, um assalto de fachada e o estupro coletivo – o ritual que promoveu violência sexual contra cinco mulheres e culminou com dois assassinatos em Queimadas foi minuciosamente planejado ao longo de quinze dias.

Durante esse período, Luciano Santos Pereira arregimentou parceiros para cometer o crime e articulou uma festa para servir de cenário para uma orgia sexual violenta.

Para não levantar suspeita, esposas dos criminosos estariam presentes e poderiam, mais tarde, testemunhar que foram vítimas de um assalto.

Elas, porém, seriam poupadas da violência sexual.

E foi justamente a exclusão das esposas que levou a polícia a suspeitar que as mulheres estupradas tinham sido vítimas de um crime planejado.

Leia Mais:

Presente
O estupro coletivo era um presente ao dono da casa, Eduardo Santos Pereira, que completava 28 anos. E o principal mentor foi o irmão dele, Luciano.

Os dois, que foram presos no velório das vítimas, serão ouvidos hoje pela delegada titular da Delegacia de Homicídios de Campina Grande, Cassandra Duarte.

Além deles, mais pessoas foram detidas – entre os quais três adolescentes. Eles já prestaram depoimentos e passaram por acareações.

E revelaram que os assassinatos não faziam parte do plano.

A recepcionista Michele Domingos da Silva, 29, e a professora Isabela Jussara Frazão Monteiro, 27 só foram mortas porque as vendas que encobriam seus olhos caíram quando estavam sendo violentadas.

Estupro em Queimadas: os homens na festa sabiam que as mulheres seriam violadas




O décimo homem envolvido no estupro coletivo ocorrido na noite do sábado e na madrugada do domingo passado na cidade de Queimadas, distante 18 quilômetros da cidade de Campina Grande, foi preso pela Polícia na cidade de Massaranduba.

Fernando de França Júnior, o Papinha, de 22 anos, confirmou a participação dele no assalto simulado, mas negou participação no estupro das seis mulheres que foram violentadas.

O caso chocou a cidade de Queimadas e pelo que foi apurado pela polícia, tudo foi planejamento e os homens presentes na festa sabiam que as mulheres seriam estupradas.Fernando confirmou que a festa era para comemorar o aniversário do irmão de Eduardo Pereira dos Santos, Luciano Pereira, que havia chegado recentemente do Rio de janeiro. As meninas seriam o presente.

Papinha confirmou que na casa havia oito mulheres e somente duas: a mulher de Eduardo e a namorada de Luciano, não foram estupradas. Ele revelou que tudo foi planejado, a invasão, a separação dos homens das mulheres em quartos diferentes, as agressões, tudo tinha sido combinado.

Ele também confirmou que a professora Isabela Jussara Frazão Monteiro, de 27 anos, e a recepcionista Michelle Domingues da Silva, de 29 anos, foram mortas porque reconheceram os dois irmãos Eduardo e Luciano.

Na hora em que eram estupradas, a venda caiu dos olhos de Michelle e como Isabela ouviu quando ela disse os nomes deles, elas foram mortas para não revelar os estupradores.

A delegada responsável pela investigação do caso, Cassandra Maria Duarte – titular da especializada em homicídios revelou no início da tarde desta segunda-feira (13), durante coletiva de imprensa, um fato inusitado sobre a barbárie que foi registrada no município de Queimadas, que deixou um saldo de cinco mulheres estupradas e duas mortas, no fim de semana – – praticamente todos os homens que estavam presentes na festa de aniversário onde o crime aconteceu sabiam do plano para estuprar as mulheres .Segundo a delegada, as investigações apontam que as duas mulheres que foram executadas reconheceram os acusados e por isso foram assassinadas brutalmente. O objetivo da ação era apenas o estupro, mas como a situação saiu do controle, duas mulheres tiveram as vidas ceifadas.

“Eles estavam encapuzados, no entanto, no momento do crime, elas reconheceram os acusados como sendo membros da família que promovia a festa. Tudo foi planejado. Os criminosos agiram sem pena. Tudo foi praticado por pura maldade. As duas mulheres mortas não eram o alvo inicial. A princípio eles queriam Pricila e Isabele” comentou Cassandra Maria.

Ainda segundo a delegada, o crime teria sido armado pelo dono da festa. O plano criminoso era estuprar as mulheres e usar a casa como uma espécie de cabaré. A motivação do crime era apenas a vontade de praticar sexo proibido.

As mulheres assassinadas foram executadas com disparo de pistola calibre 40, de uso exclusivo das forças armadas. Uma das vítimas, de 29 anos, foi morta em frente à igreja, no Centro da cidade, com quatro tiros, sendo dois na cabeça. Já a outra mulher, de 27 anos, foi encontrada, dentro do carro utilizado na fuga, na estrada que liga Queimadas a Fagundes. Ela foi morta com três tiros.

Dos nove acusados presos, a polícia divulgou a foto de sete envolvidos e também imagens do material apreendido com os criminosos como armas de grosso calibre, drogas e dinheiro. A maioria dos bandidos é de Campina Grande.
Entenda:
Na madrugada deste domingo (12), uma festa no município de Queimadas foi invadida por nove homens encapuzados e todas as mulheres que estavam no local foram estupradas e duas morreram com tiros à queima roupa.

A tragédia aconteceu durante um aniversário, no Centro de Queimadas, há 15 km de Campina Grande, quando por volta da 0h, bandidos encapuzados e fortemente armados invadiram a comemoração – que fica na Rua César Ribeiro, nº 190 -, amarraram as 15 pessoas que estavam no local e as agrediram, além de estuprarem todas as mulheres.

Os assaltantes fugiram levando duas mulheres, R$ 5 mil do dono da residência e uma caminhonete de um participante da festa. A recepcionista Michele Domingos da Silva, 29 anos, conseguiu pular do veículo em movimento, mas os acusados pararam o carro e a executaram na lateral de uma igreja católica. Já a professora Isabela Jussara Frazão Monteiro, 27 anos, foi amarrada com algema de plástico e em seguida deixada em cima da caminhonete, sem vida.


Fonte:

1-Adriana Bezerra http://www.portalcorreio.com.br/

2- Jonas Batista/Jota Ferreira http://www.paraiba.com.br/

3- Simone Duarte – PB Agora

Anúncios

Sobre mundosofismo

Somos educadores populares e acreditamos na teoria de educação freirena, este espaço se destina a comunicação popular nas mais variadas mídias e formas. Buscamos colaborar com a liberdade de expressão através da defesa absoluta da democratização da mídia, colaborando com causas e movimentos e seus protagonistas nas lutas em todas os meios inclusive através do ciberativismo em Rede Mundial de Computadores.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Tragédia em Queimadas: estupro coletivo foi planejado durante 15 dias, veja vídeo com acusado.

  1. ADRIANA AMORIM disse:

    ELES DEVERIAM PEGAR A PENA MAXIMA PARA ESSE CASO

  2. ADRIANA AMORIM disse:

    ADRIANA

  3. ADRIANA AMORIM disse:

    HORRIVEL QUANDO SE PODE IMAGINAR QUE EXISTEM PESSOAS ASSIS ATE PARECE FILME DE TERROR

  4. Pingback: Rádio Cirandeira Ultrapassa as 200.000 visualizações | Rádio Cirandeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s